quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Passarinho na janela, pijama de flanela, brigadeiro na panela.

Gato andando no telhado, cheirinho de mato molhado, disco antigo sem chiado.
Pão quentinho pela manhã, drops de hortelã, grito do tarzan.
Tirar a sorte no osso, jogar pedrinha no poço, um cachecol no pescoço.
Papagaio que conversa, pisar em tapete persa, eu te amo e vice-versa.
Vaga lume aceso na mão, dias quentes de verão, descer pelo corrimão.
Almoço de domingo, revoada de flamingo, herói que fuma cachimbo.
Anãozinho de jardim, laço de cetim, ter uma amiga querida assim.

4 comentários:

  1. Amei a sonoridade do poema... parece uma música! Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Delíciaaaaa...

    Um poema gostoso sempre deixa nosso dia bem mais leve!

    Obrigada pela visita no meu blog, Flor!

    Bjussss!

    ResponderExcluir
  3. Muito Legal o poema adoreiii
    !!!!

    ResponderExcluir
  4. Amo esse poema !!!!!

    ResponderExcluir